Uma antiga rixa entre vizinhos culminou em um homicídio na noite desta sexta-feira (31), no bairro da Marambaia, em Belém. Ricardo Oliveira Lira foi morto a golpes de enxada na cabeça e, segundo a Polícia Militar, o principal suspeito de ter cometido o crime é o homem que mora na casa ao lado da dele, identificado como Anderson, que não estava mais na cena do crime quando as viaturas chegaram.

Segundo o 27º Batalhão de Polícia Militar, o crime foi por volta das 21h20. Moradores da passagem Iracema comentavam no local como o conflito entre os dois era praticamente diário, com provocações e discussões constantes, muitas vezes, iniciadas por Ricardo, que morava sozinho na casa de número 289. O morador da casa 289, onde mora com sua família, teria chegado a registrar vários boletins de ocorrências contra o vizinho. Os conflitos eram tantos que uma mureta foi construída entre as duas casas para, segundo os populares, evitar que os dois vizinhos interagissem. 

Enquanto o corpo de Ricardo estava no chão da rua, uma mulher, parente do suspeito de ter matado o homem, chegou em desespero ao local. “Eu dei várias e várias queixas contra esse cara que tá aí [Ricardo]! Fui atrás da polícia várias vezes! E olha o que aconteceu! Isso que aconteceu é culpa de vocês”, disse a mulher aos policiais, antes de ser arrastada para dentro de casa por familiares.

Ao lado do corpo, dois terçados foram encontrados, que provavelmente foram usados por Ricardo na luta mortal. Segundo o aspirante Dantas, da PM, as informações ainda eram poucas, somente baseadas nos relatos de moradores, e somente a Polícia Civil poderia aprofundar as investigações. Os populares contaram que, naquele dia, as discussões entre vizinhos começaram cedo, e no meio da noite, um atacou o outro. Armado com uma enxada, Anderson acertou a cabeça de Ricardo, e fugiu do local. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) foi acionada, mas enquanto os socorristas trabalhavam para salvar a vida do homem, ele não resistiu e morreu no meio da rua, em frente de sua casa.

Rondas foram feitas por viaturas do 27º BPM, mas o suspeito de ter desferido os golpes que mataram Ricardo não foi encontrado. A Polícia conversava com familiares dele, que moram no local, na tentativa de localizá-lo. O caso é investigado pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil.