Um esquema de rodízio de servidores foi montado pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) nas 982 escolas públicas estaduais para garantir, além do atendimento emergencial em alguma eventualidade, o fornecimento da merenda de todos os matriculados durante o período de suspensão das aulas, como parte das ações de enfrentamento ao novo Coronavírus (Covid-19). As refeições serão entregues em marmitas, de acordo com a logística de cada unidade.

VEJA TAMBÉM:

“As escolas estaduais estão com aulas suspensas. Mas para garantir a alimentação dos alunos, a merenda está sendo feita e será distribuída de forma que os alunos possam vir buscar, sem aglomerações”, confirmou a titular da Seduc, Elieth de Fátima Braga. A entrega deve ocorrer de forma rápida, em horário ou período definido pelas escolas, e o aluno e/ou pais, pegam a embalagem e podem voltar para casa. 
O Governo do Estado determinou, ainda na terça-feira (17), como medida preventiva – antes mesmo da confirmação do primeiro caso da doença no Pará -, a suspensão das aulas em toda a rede pública estadual a partir desta quarta-feira (18). Ainda de acordo com Elieth Braga, posteriormente haverá reposição para garantir que não haja prejuízos ao processo de aprendizagem.

A refeição é garantida mesmo no período sem aulas
O diretor Gláucio Figueiredo destacou o esforço de todos para entregar a merenda em dois horários
Foto: Marcelo Seabra / Agência Pará

Servidores enquadrados em grupo de risco que apresentarem os sintomas do novo Coronavírus não participarão do revezamento de servidores, esquema que também será definido de acordo com a rotina de cada escola. “Gostaria de tranquilizar os pais, dizer que podem vir, com tranquilidade, em busca da merenda. O Estado está agindo de forma preventiva, e está preparado para esse enfrentamento. E nos demais momentos, a gente pede para que as crianças estejam em casa”, reforçou a secretária.O diretor Gláucio Figueiredo destacou o esforço de todos para entregar a merenda em dois horários

Esforço conjunto – O diretor da Escola de Ensino Fundamental e Médio Rodrigues Pinagé, Gláucio Figueiredo, disse que adotou a entrega da merenda em dois horários: entre 12 e 12h30, e entre 14 e 14h30. “Estamos todos em um esforço conjunto para garantir a merenda, que é o mais importante nesse momento, além do rodízio entre funcionários, administrativo e apoio técnico-pedagógico”, informou.

A dona de casa Maria do Socorro Freitas de Oliveira, avó de alunos da escola, reconhece a importância de manter a entrega da refeição. “Ajuda muito lá em casa. É uma coisa boa que estão fazendo por nós”, declarou.

Já a estudante Andréia Cabral continuará indo à escola diariamente para buscar a merenda. “Para mim e para outros é muito importante não parar com isso, porque tem gente que vai para a aula sem ter comido nada”, justificou. Enquanto espera o retorno das aulas, ela contou que pratica as ações de prevenção ensinadas pelos professores. “Lavo bem as mãos, uso álcool em gel. Aqui a gente aprendeu que o que está acontecendo não é brincadeira”, reforçou Andréia Cabral.