A Rússia está oficialmente excluída de competições esportivas mundiais por quatro anos. A decisão foi tomada pela Agência Mundial Antidoping (Wada), que concluiu a utilização de falsificação de dados dos controles entregues à entidade. O país está impedido de participar dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e de Inverno de Pequim 2022, além de Mundiais de todas as modalidades, o que inclui a Copa do Catar 2022.

O país pode recorrer da decisão no Tribunal Arbitral do Esporte, (TAS na sigla em francês) e tem até 21 dias para apresentar o recurso. Os atletas que quiserem participar mesmo com o impedimento da Rússia, poderão passar por testes de antidoping e competir sob bandeira neutra.

De acordo com o presidente da Wada, Craig Reedie, “Por muito tempo o doping russo prejudicou o esporte limpo. A violação flagrante pelas autoridades russas das condições de restabelecimento da Rusada (Agência Antidoping da Rússia), aprovadas pelo Comitê Executivo em setembro de 2018, exigiu uma resposta robusta”.

A lista completa de recomendações (de sanções por parte do Comitê de Revisão de Conformidade, CRC) foi aprovada por unanimidade pelos 12 membros do comitê executivo – disse o porta-voz.

Essa não é a primeira vez que o país passa por problemas relacionados ao Doping. O Comitê Olímpico Internacional (COI) chegou a excluir a Rússia dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 e de Inverno de Pyeongchang 2018, mas deixou nas mãos das federações nacionais a decisão de executar a suspensão. O COI ainda não se pronunciou sobre a decisão da Wada desta segunda-feira, mas já indicou que deve seguir o estipulado pela entidade.

Globo Esporte